Por que razão as pessoas sofrem em empregos ruins? E nem se dão ao trabalho de procurar um melhor?

Uma pessoa gasta em média mais de um terço da sua vida no trabalho. Isso é tempo demais quando ela está se sentindo insatisfeita, contestada, mal paga ou desvalorizada no trabalho. Mas, o engraçado é que a maior parte das pessoas aceita tal situação.

Num país como o Brasil, no qual faltam empregos, acabamos aceitando o quadro acima como algo inevitável. E, para muitas pessoas não há mesmo saída: ou elas são muito novas e precisam de “experiência”, ou tem idade acima dos cinquenta, ou tem família para cuidar e não podem se arriscar, ou … Bem, se estes grupos acima forem desconsiderados, ainda sobram milhões de pessoas que preferem sofrer no trabalho a procurar algo melhor.

Por que elas aceitam?

De acordo com uma pesquisa feita em 2018 por um dos maiores sites de busca de emprego nos Estados Unidos, mostrou o seguinte quadro com as razões pelas quais as pessoas preferem sofrer num emprego a ruim a procurar algo melhor:

undefined

Mas, a pesquisa foi mais a fundo e tentou entender as reais razões por trás do que foi mencionado no quadro acima. As respostas foram tabuladas e agrupadas em cinco grandes grupos, que vamos mostrar nos próximos posts, mas por hoje já vamos ficar com o primeiro grupo.
Quais são os medos que impedem as pessoas de procurarem um emprego melhor?

Nossas últimas publicações trataram do primeiro grupo e do segundo grupo.

 

Nesta publicação vamos falar sobre o terceiro grupo.

 

Terceiro grupo: você acha que todos os empregos são iguais.

É melhor o diabo conhecido do que aquele que não se conhece, certo?  Eu vi muitas pessoas ficarem em empregos ruins ​​por medo de que a alternativa pudesse ser ainda pior. E, às vezes poder ser que sim.

Quando as coisas não são boas no seu trabalho, é fácil assumir que é o mesmo em todo lugar: muitas horas de trabalho duro, péssimos supervisores ou gerentes, clientes exigentes. Quando as coisas não estão bem, cabe somente a você encontrar alguma alternativa.

Enfrente seu medo: muitas pessoas realmente não detestam seus empregos – na verdade, a maior parte das pessoas realmente ama o que faz. Assim, vença seu medo e sua ignorância fazendo algumas pesquisas sobre outras empresas. Candidate-se a outros empregos (sem causar problemas para você no emprego atual). Caso haja oportunidade, participe de entrevistas. Sinta o clima de outras empresas.

Investigue as vantagens legais da empresa que são oferecidas em outros lugares. Visite feiras de negócios e converse com as pessoas; faça sondagens; faça networking. Sinta se elas gostam do trabalho que fazem ou o quanto gostam do que fazem. Você vai acabar descobrindo que seu medo é tão real quanto a existência do ET de Varginha.

Acompanhe-nos nas próximas edições quanto às outras razões.

Você trabalha demais e não tem tempo para melhorar seu curriculum

Você já pensou no EAD ou Ensino à Distância?


QUER SER AVISADO DE OUTROS CONTEÚDOS COMO ESSE POR E-MAIL? POR FAVOR, INSCREVA-SE ABAIXO.

SOBRE O AUTOR:

Vladimir de Lima

Vladimir , cofundador da MUPE, tem grande experiência nas áreas operacionais e de gestão em empresas de nacionais e multinacionais, conseguindo impactantes reduções de custos de aquisição e de custos com pessoal através da implantação de processos mais racionais. Também é um entusiasta do treinamento através de abordagens práticas de problemas vividos pelas empresas, o que o levou a escrever o livro “Previsão de demanda – o básico que você precisa saber”.


GOSTOU, COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Deixe um comentário